Não perca o foco, não perca a deixa, não perca a fala. Tanto na vida como na cena.

Posted on Posted in Reflexões, Ronaldo Ventura

Atores e atrizes são atores e atrizes o tempo todo. Ser ator não é algo que se “desliga” – você nunca está ator, você é ator – e assim, sua ética, sua poética, seu aprendizado e treinamento, te acompanha dentro e fora da sala de ensaio, dentro e fora do palco.

Depois que você fez algum curso, alguma iniciação, e decidiu fazer dessa realidade a sua profissão, e não um hobby – Profissão vem do latim professio e significa professar publicamente: Uma confissão pública de um labor que você diz ter domínio e ter se especializado para sua execução. Quando você assume publicamente que faz Teatro, você assume o Teatro em você para o mundo. Isto significa que você não pode deixar de assumir o Teatro em você, para você mesmo.

Temos o mundo inteiro como um grande laboratório teatral. O trajeto da nossa casa até a sala de ensaio pode estar repleto de opções de treinamento e prática. O tempo todo e em todo lugar podemos criar um momento para nos conhecer melhor, e nos aprimorar, para ter um melhor resultado em cena. Sempre podemos encontrar um jeito de evoluir em nossa arte. Da mesma forma que sempre encontramos uma situação que podemos ser seres humanos melhores.

Assumir o Teatro em você, te permite tratar a vida como algo a ser experienciado, te permite ser o protagonista do seu cotidiano – e não apenas um passageiro, alguém que é simplesmente carregado pelos acontecimentos. Ser ator é ser atuante. É ser guerreiro e servidor.

A prática de nossa arte guerreira e servil nos torna aptos a reconhecer poesia, dança, personagens, cenas, nuances, onde a grande maioria das pessoas veem apenas fatos e coisas; a preparação física que passamos nos torna mais resistentes e flexíveis, nos protegendo tanto contra desgastes físicos da vida ordinária, como também dos desgastes mentais que podemos sofrer durante os debates com pessoas ordinárias. O nosso treinamento mental, nossos exercícios de memorização e atenção, nossa prática de coexistência – que nos ensina a ver e ouvir o outro, livre de opiniões preconceituadas, nossas revelações emocionais, nossas fragilidades assumidas, assimiladas, e expostas, se transformam em nossas táticas diárias de defesa e ataque.

Fazer teatro é sentir-se vivo. Ser ator é vivenciar a vida. Estar em cena é manifestar a Vida.

Dizemos que um ator nunca está formado, pois todo dia ele aprende algo, ele exercita algo, ele pode (e deve) colocar em função de seu ofício, cada dia, aquilo que lhe então, agora é novo. O ator sempre se renova, e sua arte é sempre nova. Ofício vem do latim Officiu: atividade que envolve a sociedade como um todo. A prática de seu officiu (Ofiiciis), significa: o dever de uma obrigação cumprida.

Ouvimos que o teatro está morrendo. É verdade. Na verdade, o teatro morre toda noite; E todo dia ele renasce. A cada minuto, a cada respiração sua, o teatro se fortalece. Ele vibra dentro de você, e isso contagia a sociedade como um todo.

Lembre-se que nosso corpo é formado em sua maior parte por água. Uma das funções do ator é aprender a locomover essa grande massa de água da melhor maneira possível. Aprender suas capacidades e ampliar os seus limites. Descobrir como e quando sermos firmes, capazes de perfurar a rocha; como e quando sermos flexíveis, e contornar os desafios; como e quando sermos translúcidos, e reflexivos, fazendo o mundo brilhar em nossa ótica… Nossas capacidades são infinitas.

Tenha orgulho de sua arte, e a manifeste todos os dias.

About Ronaldo Ventura
Ronaldo Ventura é um milionário excêntrico que as noites veste uma fantasia de homem morcego e combate o crime. De dia, ele dirige espetáculos e escreve peças. conheça seu trabalho em www.ronaldoventura.com