esta semana estarei viajando para um festival em Piauí. Devido a isso, adianto o assunto :O)

Posted on Posted in Uncategorized

INTELIGÊNCIA CORPORAL-CINESTÉSICA

OK, como essa é a preferida dos artistas que trabalham com o corpo, vou começar com ela, mas só porque ela parece que é a mais “simples”, e não o é.

Muitas tradições milenares orientais buscam uma afinidade tão intensa entre o corpo e a mente, que é possível ver ações e posturas físicas alcançando diferentes estados mentais. A prática do Kung Fu leva a uma elevação da consciência; a Cerimônia do Chá exige um requinte e uma sofisticação tão alta em seus gestos, que afetam profundamente os participantes; diversos ramos da Yoga buscam atingir uma certa espiritualidade através de repetição de sons, ou movimentos. Quando falamos de teatro e dança, nas tradições orientais corpo-mente-espírito não se separam tão facilmente, e é assim tanto na sala de ensaio, quanto no palco.

Mas isso não é um privilégio oriental; os antigos gregos acreditavam que a busca pelo ideal passava pela prática esportiva junto com as disputas de retórica e pensamentos filosóficos… os romanos, que dominaram grande parte do mundo conhecido, buscavam a “mente sã num corpo são”. E podemos até considerar que durante a Idade Média também se acreditava que o corpo servia a mente, e vice-versa; tanto que as práticas religiosas de machucar o corpo, buscando uma elevação espiritual surgiram nessa época.

A grosso modo, no ocidente, a história de nossas conquistas, feitos, e descobertas, pode ser dividida com base no que damos ênfase. Durante muito tempo, o que importava era a Fé. A fé gerava poder, criava leis, ordens, e composições sociais, e assim motivava todas as evoluções de pensamento; depois foi a Razão, e a razão modificou as leis, dividiu o poder, gerou novas ordens, criou outros conceitos sociais, e os pensamentos se voltaram para outra direção. Hoje em dia, o que importa é o Medo. O medo tem direcionado as leis, os costumes, os pensamentos, e quem manipula o medo tem poder sobre todos os outros.

Perceba que estamos falando de séculos onde o corpo nunca foi algo muito importante, mas considerado normalmente como um simples objeto, apenas algo que transportava uma alma, ou um pensamento, ou um sentimento. Demoramos mais de dois mil anos para começar a perceber que nosso corpo não pode ser separado de nós. Tudo isso que você percebe como “você”: seus sentimentos, suas memórias, seus pensamentos, nasceram, ou se manifestaram, no seu corpo, e na relação do seu corpo com o mundo. Você é seu corpo – também.

E seu corpo possui uma consciência própria. Já não houve situações onde você “se mexeu sem pensar”? Sem contar as reações de confronto, já não teve momentos em que você desviou de objetos, sem perceber o que estava fazendo? Nunca aconteceu de um dia você achar “que seu corpo era mais inteligente que você”? Quando esses momentos acontecem, você está manifestando sua propriocepção.

Propriocepção é uma consciência própria do corpo para com ele mesmo. É o que permite você perceber todas as partes do seu corpo sem ter a necessidade de olhar para elas. E seu corpo todo reconhece seu corpo todo. É o que te mantém em pé. O que não permite que você caia quando começa a andar. É o que faz com seus braços abram para se manter em equilíbrio, quando se tira um pé do chão.

Mas a propriocepção não é a única “inteligência do corpo” – vamos continuar esse papo semana que vem? Espero você aqui!

About Ronaldo Ventura
Ronaldo Ventura é um milionário excêntrico que as noites veste uma fantasia de homem morcego e combate o crime. De dia, ele dirige espetáculos e escreve peças. conheça seu trabalho em www.ronaldoventura.com