Conhecendo o Grupo Acalanto”

Posted on Posted in Novos Encontros

Domingo aparentemente triste para o Grupo Brinquedo Torto, pois tivemos de cancelar a última apresentação de “Tudo começa pelo fim”. Mas como nosso próprio espetáculo propôs, talvez estejamos diante de um novo começo, pois acabamos de sair muito felizes do encontro com um grupo que não conhecíamos: O Grupo Acalanto, do Colégio Eduardo Gomes, de São Caetano do Sul, dirigido pelo amigo Dudu Oliveira.

Embora tenhamos ido assistir ao espetáculo, este post não tratará da peça propriamente dita, pois farei isso com todo o prazer na coluna “Isso não é uma crítica”, que costumo escrever durante o Festival Fundação das Artes, que está próximo e do qual o grupo também participará, motivo pelo qual não adiantarei nada a respeito do que vi. Mas já tranquilizo a galera do grupo dizendo que fiquei bem contente com o trabalho.

O que eu preciso dizer aqui hoje, principalmente porque nos últimos tempos temos postado pouco conteúdo por conta da avalanche de trabalhos e prazos dos nossos grupos e da própria vida, é que o encontro de hoje com o Acalanto foi mais uma confirmação de que o Teatro Estudantil me encanta, me apaixona, me move e me comove e que talvez seja a salvação para o teatro. Quando a gente acha que já viu de tudo, tem sempre um grupo que aparece e nos surpreende. E desta vez, quem nos surpreendeu foram os alunos do Eduardo Gomes.

A surpresa não se deveu ao fato de não acharmos possível que o grupo fosse capaz de nos encantar com o trabalho apresentado. Muito pelo contrário. Saímos da Sala de Teatro Wladimir Capella felizes por mais uma vez encontrar um grupo cuja pesquisa, genuína, digna e sincera nos encanta, nos acrescenta enquanto artistas e acima de tudo, por sentirmos, olhando nos olhos dos meninos e dos diretores, que o grupo é composto de “gente gostosa”. Sim, porque eu aprendi recentemente a diferença entre este tipo de gente e gente “só bonita”. Gente bonita, é bonita só. Agrada os olhos e mais nada. Às vezes, vendo um pouco mais de perto, nem é tão bonita assim. “Gente gostosa” não, a gente olha no olho e gosta, fica com vontade de se aproximar e, se aproximando, gosta mais, porque são pessoas agradáveis. Gente gostosa, a gente quer por perto, quer virar amigo e quer conhecer melhor. Foi isso que tive, foi isso que senti com essa turma. Senti quando o grupo se abraçou ao fim do espetáculo (coisa que sempre fazemos). Senti quando Maria Julia se emocionou por se despedir da amiga que vai para Itália em viagem de intercâmbio. Senti no carinho dos diretores para com a aluna que se despede, no sentar no chão para ouvir o público; no “pedir para os pais aguardarem porque precisam deixar a sala em ordem”. Ainda não os conheço, mas dei um abraço forte na Maria Julia, a quem já tinha sido apresentado e no Dudu, diretor do espetáculo e que já conhecia de outros carnavais. Aos outros, mando meu abraço agora e deixo aqui meu desejo de conhecê-los mais de perto.

Contem comigo! Contem conosco! Vocês são Potência! Potência! Potência!

Grupo Acalanto - Fonte: Página do Grupo do facebook
Grupo Acalanto – Fonte: Página do Grupo do facebook

VarleiXavier About VarleiXavier
Professor Xavier é meu herói preferido. Sempre me senti meio mutante, perdido e deslocado, mas o teatro (essa irmandade) me salvou. Desde então, com meus poderes mentais, recruto seres especiais para cumprir minha missão: Levar encantamento ao mundo. Professor, Ator, Dramaturgo, Diretor, Contador de Histórias e Sonhador Potente.

  • Dudu Oliveira

    Muito obrigado meus amigos. Obrigado pela visita, obrigado pelas palavras e muito obrigado por nos mostrar que não estamos sozinhos. Que quando acharmos que não vale a pena, que ninguém olha o que estamos fazendo e quando nos sentirmos perdidos, podemos contar com novos amigos ou parceiros de outros e bons carnavais.
    E que venha o Festival Estudantil da Fundação das Artes para selarmos de vez esses laços .

    POTÊNCIA !!!

    DUDU OLIVEIRA
    GRUPO ACALANTO DE TEATRO.

  • Pingback: Acalanto - Grupo Acalanto - Colégio Eduardo Gomes -()